Apraxia da Fala na Infância

Apraxia da Fala

O que é apraxia de fala na infância?

A apraxia da fala é um distúrbio neurológio motor da fala, caracterizado pela dificuldade na incapacidade na programação dos movimentos musculares voluntários necessários para a produção de fonemas e palavras. A pessoa com apraxia demonstra tentativas de se comunicar, mas apresenta dificuldade para organizar posturas específicas dos órgãos fonoarticulatórios para produzir os sons desejados na ordem e sequência correta para produzir a fala.

Qual a causa da apraxia de fala na infância?

No caso de crianças, a Apraxia Infantil pode estar associada a distúrbios neurológicos complexos conhecidos, ou não, ou com distúrbios neurogênicos idiopáticos (não conhecidos) da produção do som. 

Neste caso, a criança tem em sua cabeça o que ela quer falar, mas seu cérebro não consegue transmitir as informações corretas para as estruturas laríngeas e orais, responsáveis pela produção de voz e sons da fala. No momento, a Apraxia Infantil é classificada como um distúrbio de comunicação, sem uma causa genética, comportamental ou neurobiológica específica.

Quando procurar um fonoaudiólogo?

A Associação Norte Americana de Fonoaudiólogos (ASHA), descreve alguns sintomas da Apraxia Infantil, conforme abaixo relacionados. Nem todas as crianças apresentam os mesmos sintomas, mas caso a criança apresente alguns destes abaixo, ou todos, é necessário procurar um fonoaudiólogo.

Crianças com menos de 3 anos:

  • não balbucia;
  • emite suas primeiras palavras depois do que você acha que deveria;
  • emite apenas alguns sons diferentes;
  • apresenta problemas para colocar sons juntos;
  • realiza grandes pausas entre os sons que ela produz/fala;
  • nem sempre fala uma palavra da mesma maneira;
  • apresenta problemas para comer.

Crianças com mais de 3 anos:

  • compreende o que os outros dizem melhor do que ela pode falar;
  • apresenta problemas para imitar o que os outros falam. se ela puder imitar, essas palavras parecerão melhor do que as palavras que ela fala por conta própria;
  • parece que ela tem que mover seus lábios, língua ou mandíbula algumas vezes para conseguir produzir sons. isso é chamado de tatear;
  • apresenta mais dificuldade para dizer palavras mais longas do que mais curtas;
  • parece ter mais dificuldade para falar quando está nervosa;
  • é difícil de compreende-la, especialmente para alguém que não a conhece bem;
  • a fala da criança soa agitada ou monótona e ela pode colocar o estresse na sílaba ou na palavra errada.

Qual a atuação do fonoaudiólogo nestes casos?

O fonoaudiólogo, especialista em patologias da fala e da linguagem, é profissional mais indicado pela Associação Norte Americana de Fonoaudiólogos (ASHA). O objetivo do tratamento será ajudar a criança a emitir sons, palavras e frases com mais clareza, ajudando-a a planejar e organizar os movimentos para a produção da fala.

Links para vídeos:

Referências bibliográficas:

Facebook
Instagram