Transtorno Fonológico

Transtorno Fonológico

O que é Transtorno Fonológico?

O Transtorno Fonológico é uma alteração que envolve a fala e a linguagem, caracterizada por trocas de sons na fala, como por exemplo: invés de pato, a criança diz bato; invés de gol, a criança diz col. 

Qual a causa do Transtorno Fonológico?

Não há uma causa específica para sua ocorrência. Alguns fatores que influenciam e, geralmente, estão relacionados a este tipo de alteração de fala são otites, ambiente com pouca estimulação e influência hereditária. 

Quando procurar um fonoaudiólogo?

No desenvolvimento típico de fala as crianças adquirem os sons gradualmente, passando por etapas de aquisição sendo possível ter a sua completa maturação até os 5 anos de idade. No Transtorno Fonológico essas alterações persistem mesmo após a idade esperada para a sua eliminação.

Processos Fonológicos

Idade prevista para a Eliminação do Processo

Redução de Sílaba (Ex: pato – pa)

Harmonia Consonantal (Ex: sapato – papato)

Plosivação de Fricativas (Ex: vaca – baca)

Até 2 anos e 6 meses

Frontalização para Velar (Ex: coca – tota)

Até 3 anos

Posteriorização para Velar (Ex: dado – gago)

Simplificação de Líquida (Ex: cara – cala)

Até 3 anos e 6 meses

Posteriorização para Palatal (Ex: sapo – chapo)

Frontalização de Palatal (Ex: chave – save)

Até 4 anos e 6 meses

Simplificação do Encontro Consonantal (Ex: prato – pato)
Simplificação da Consoante Final (Ex: pasta – pata)

Até 7 anos

(Wertzner, 1992)

É de suma importância a realização do diagnóstico precoce do Transtorno Fonológico, pois esta alteração do desenvolvimento da fala e da linguagem pode comprometer a aquisição e desenvolvimento saudável da leitura e da escrita e, portanto, interferir no aprendizado escolar. 

Qual a atuação do fonoaudiólogo nestes casos?

O fonoaudiólogo realiza sessões semanais de estimulação do Sistema Fonológico com estratégias específicas conduzindo a criança à eliminação das trocas dos sons na fala e a sistematização fonemas adquiridos.

Muitas são as dúvidas sobre o desenvolvimento de fala e linguagem da criança: “está adequado?”; “devo esperar mais um pouco?”; “isso é normal?”. Não hesite em procurar um fonoaudiólogo para sanar as suas dúvidas, receber orientação e realizar uma avaliação. 

Modelo de desenho:

Desenho de homem com balões

Link para vídeos:

Referências bibliográficas:

  • Belfi-Lopes DM. Avaliação diagnóstica e aspectos terapêuticos nos Distúrbios Específicos de Linguagem. In: Ferreira, L.P; Befi-Lopes D.M; Limongi S.C.O. Tratado de fonoaudiologia. São Paulo: Roca, 2004.p.988 – 1000.
  • Organização Mundial da Saúde. Classificação Internacional de Doenças – CID 10. Edusp, São Paulo, 1998.
  • American Psychiatric Association. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais DSM-IV. Artes Médicas, Porto Alegre, 2005.
  • Wertzner HF, Pagan-Neves L. Diagnóstico diferencial dos Transtornos Fonológicos. In: Lamônica DAC, Britto DBO. Tratado de Linguagem: perspectivas contemporâneas. Ribeirão Preto: Booktoy; 2017. 
  • Wertzner HF – Articulação; aquisição do sistema fonológico dos 3 aos 7 anos. São Paulo, 1992. [Tese – Doutorado – apresentada à FFLCHUSP].
Facebook
Instagram